Introdução Alimentar

  • Video no canal

Orientações sobre Introdução Alimentar

Até os 6 meses a criança deve receber apenas leite, seja materno ou fórmula. Água pode ser oferecida porém não há necessidade.

Aos 6 meses as frutas in natura, preferencialmente sob a forma de papa (amassadas ao garfo), devem ser iniciadas, sempre em colheradas, ou espremidas. Nenhuma fruta é contraindicada.

Os sucos naturais NÃO devem ser oferecidos até 1 ano, por conterem calorias de várias frutas de forma muito fácil de ingestão, diminuindo com isso a ingestão de outros alimentos, assim como possuírem quantidade reduzida de fibras e outros nutrientes.

A partir de 1 ano também devem ser oferecidos com parcimônia, e nunca utilizados para matar a sede. Para isso ofereça água. 

A primeira papa principal (antigamente chamada de papa salgada, mas que não deve conter sal!) deve ser oferecida a partir do 6º mês, podendo-se esperar em torno de 2 semanas, quando o bebê já estiver familiarizado com as frutas, no horário de almoço ou jantar, completando-se a refeição com leite até que a criança se mostre saciada apenas com a papa.

A segunda papa principal será oferecida a partir do 7º mês de vida.

A alimentação deve ser oferecida sem rigidez de horários, respeitando-se sempre a vontade da criança, porém tentando manter uma rotina. Horários rígidos para a oferta de alimentos prejudicam a capacidade da criança de distinguir a sensação de fome e de estar satisfeito após a refeição. No entanto, é importante que o intervalo entre as refeições seja regular, evitando-se comer entre elas para não atrapalhar as refeições principais.

Nas primeiras semanas, pode-se misturar os componentes para facilitar a aceitação. À medida que ela vai aceitando a alimentação pastosa, separe os alimentos, e ofereça individualmente, para que o bebê aprenda a desenvolver preferências e paladares diversos. Lembre-se que tudo que se consegue introduzir até os 2 anos há grandes chances de permanecer para o resto da vida !

Nos primeiros dias, é normal a criança derramar ou “cuspir” o alimento, algo que não deve ser interpretado como rejeição.

A criança tem capacidade de autorregular sua ingestão alimentar, não se deve forçar comer além da aceitação. Isto serve para qualquer idade. E serve também para água, que deve ser oferecida regularmente ao longo do dia. Os pais decidem onde, quando e o que a criança come. A criança decide o quanto ela come.

Oferecer à criança diferentes alimentos todos os dias. Uma alimentação variada é, também, uma alimentação colorida. Lembrar que são necessárias em média, 8 a 15 exposições a um novo alimento para que ele seja aceito pela criança.

A consistência dos alimentos deve ser progressivamente elevada, respeitando-se o desenvolvimento da criança, devendo-se sempre seguir sua aceitação e a rotina da família. Não existem regras fixas.

As refeições devem ser realizadas à mesa ou em cadeira própria para a criança, junto com a família, em ambiente calmo e agradável, sem televisão, tablet, celular ou outro tipo de distração.

Não irrite a criança limpando a boca com um guardanapo após cada colherada. Permita que o bebê pegue as comidas com a mão e faça sujeira.


-> Exemplo de inicio da rotina alimentar:

Com 6 meses: leite materno ou fórmula podem ser dados de acordo com a requisição do bebê.

7hs: Leite (materno ou fórmula) -10hs fruta + leite – 12hs papa almoço (+ leite ? ) – 15hs fruta + leite – 18hs leite - 22:00 hs leite.


Com 7 meses:

7hs Leite -10hs fruta + leite (?) – 12hs papa almoço – 15hs fruta + leite (?) – 18hs papa janta - 22:00hs leite


Preparo :


-> Cuidados com higiene

◆ frutas e verduras, devem ser lavadas em água corrente, e colocados em imersão em água com hipoclorito de sódio a 2,5% por 15 minutos (20 gotas de hipoclorito para um litro de água). 

Não há restrições à introdução concomitante de alimentos diferentes, porém o ideal é introduzir uma proteína cada 3-5 dias, assim como primeiro a gema e depois a clara do ovo, para caso ocorra alergia, será mais fácil em se distinguir qual o alimento causador.

A  refeição deve conter pelo menos um alimento de cada grupo:

◆ Cereal ou tubérculo : Arroz, Milho, Macarrão, Batata, Mandioca Inhame, Cará, aveia, centeio.

◆ Leguminosa : Feijão, Soja, Ervilha, Lentilhas, Grão-de-bico.

◆ Legumes: são vegetais cuja parte comestível não são folhas. Por exemplo: cenoura, beterraba, abóbora, chuchu, vagem, berinjela e pimentão.

◆ Verduras: são vegetais cuja parte comestível são as folhas. Por exemplo: agrião, alface, espinafre, acelga, almeirão, couve, repolho, rúcula e escarola .

◆ Proteína animal: Carne bovina, vísceras, aves, porco, peixe e ovos.

O óleo vegetal (preferencialmente de soja ou canola ) ou azeite, deve ser usado na proporção de 3 mL (aproximadamente 1 colher de café) por 100 mL ou 100 g da preparação pronta e deve ser adicionado no prato da criança. Não se deve refogar cebola e alho com óleo, pois nesse processo, quando se atinge o “ponto de fumaça” do óleo, além de haver decomposição de parte das gorduras boas presentes (ômega 3 e 6), é produzido uma substância chamada acroleína, tóxica ao organismo, que possui potencial cancerígeno. 

Então refogue com água, prepare todos os alimentos e depois adicione o óleo no prato.

Não retire a casca dos alimentos que forem possíveis (cenoura, batata, mandioca, etc ), pois a fibra está contida nela. É muito comum crianças iniciarem quadros de constipação após a introdução alimentar justamente por baixa ingesta de fibras. Coloque as folhas no final da preparação desde a primeira papa, elas irão se desmanchar no meio.

Não é permitido o uso de sal, caldos ou tabletes de tempero industrializados, ou quaisquer condimentos industrializados nas preparações.

Pode-se congelar as papas sem problema algum, em porções iguais e com sabores predominantes diferentes, descongelando em banho maria ou na geladeira/microondas.


Cuidados: A criança pequena NÃO pode “experimentar” todos os alimentos consumidos pela família, como iogurtes industrializados, queijinhos petit Suisse (Danoninho®), macarrão instantâneo, bebidas alcoólicas, salgadinhos, refrigerantes, doces, etc.


Adicionar sal após 1 ano de vida e com moderação.


Oferecer esses alimentos precocemente irá programar o paladar, levando à preferência por determinados sabores (muito doce ou muito salgado) pelo resto da vida.

Sucos industrializados, em sua maioria, não são naturais, possuem grande quantidade de açúcar adicionado e conservantes, assim como a maioria dos alimentos direcionados ao público infantil. Sucos naturais também possuem grande quantidade de açúcar da fruta, e se ingeridos de forma livre e abusiva podem levar à obesidade. Um copo de suco de laranja possui quase a mesma quantidade de açúcar que um copo de refrigerante.


Exemplo de preparo de papas principais:

Pode-se seguir esses exemplos trocando os alimentos do mesmo grupo


PAPA DE BATATA, ALMEIRÃO E PEIXE

1/2 filé médio de peixe, picado 1 colher de sopa de óleo de soja 1/2 “dente” de alho 1 colher de chá de cebola 1 batata média, picada 3 folhas médias de almeirão 1 colher de sopa de tomate picado 2 copos médios de água

Numa panela colocar todos os ingredientes e a água. Deixe cozinhar até que os ingredientes estejam macios e quase sem água, acrescentar o óleo. Amassar com o garfo e oferecer à criança.

Observações: prefira os peixes que não têm espinhas. Se não for possível, retire-as com cuidado.


PAPA DE MANDIOQUINHA, CENOURA E FRANGO

2 colheres de sopa de frango, sem pele, picado 1 colher de sobremesa de óleo de soja 1/2 “dente” de alho 1 colher de chá de cebola 2 mandioquinhas médias, picadas 2 colheres de sopa de cenoura, ralada 2 colheres de sopa de acelga, picada 2 copos médios de água

Numa panela colocar o frango, alho, cebola e um pouco da água. Deixe cozinhar até que o frango fique quase cozido. Acrescente a mandioquinha, cenoura e o restante da água. Deixe cozinhar até que os ingredientes estejam macios e quase sem água. Acrescente a acelga picada fina, quando estiver cozida, acrescente o óleo. Amassar com o garfo e oferecer à criança.