Tosse

Visão Geral sobre tosse

tosse.jpg

A tosse é um reflexo importante cuja função é ajudar a limpar secreções (catarro) das vias aéreas. Ela também ajuda a impedir que algo estranho entre nas vias aéreas , como líquidos, alimentos e objetos. Na ausência deste reflexo, estamos muito mais predispostos a adquirir pneumonias.

Ela é um dos maiores incômodos nos pacientes pediátricos , e também um dos maiores desafios aos pediatras, pois crianças tossem o tempo todo, deixando pais angustiados e pediatras com a orelha quente.

-> Principais causas em crianças são :

  • Infecções das vias  aéreas superiores (IVAS), que são os Resfriados e Gripes - famosas viroses.

  • Infecções das vias aéreas inferiores (Pneumonias) - traquéia para baixo.

  • Asma ( Bronquite, bronquite alérgica, bronquite asmática, todos nomes usados para asma).Para saber mais sobre asma clique aqui

  • Alergias 

A causa mais frequente disparado são os Resfriados e Gripes (chamamos comumente de infecção de vias aéreas superiores – IVAS), já abordado em parte no capítulo sobre “A criança doente”.

Infelizmente ainda não se descobriu alguma medicação efetiva e segura na faixa pediátrica para o tratamento da tosse causada pelas IVAS.

As recomendações na literatura médica, inclusive da Organização Mundial da Saúde, são para não utilizar medicações em crianças.

Sabemos da agonia dos pais em querer fazer alguma coisa por seu filho, mas os “xaropes pra tosse” possuem medicações, e estas não possuem benefícios comprovados, muitas não possuem estudos comprovando sua segurança em crianças, levam a gastos desnecessários e podem, inclusive, causar mal. São muito vendidos e geram muito dinheiro, por isso se encontra uma infinidade nas prateleiras das farmácias, mas servem apenas para os pais pensarem estar fazendo algo pelo filho. São muito prescritos devido à pressão sobre os pediatras, pois já se tornou cultural que toda tosse necessita do bendito xarope. O pediatra que não prescreve é tido como um péssimo médico (“onde já se viu !! Fiquei 2 horas nessa fila de hospital pra ele não me passar nada !!?? E nem pediu um raio X!!! ”... ouvimos muito essa frase nos PS’s).

O objetivo aqui é tentar quebrar esse pensamento, com argumentos baseados em estudos médicos e recomendações atuais.

São inúmeras as formulações de medicações que prometem acabar com a tosse, soltar o catarro ou outras maravilhas (Hedera helix, ambroxol, acetilcisteina, dropropizina,...).

Entre as mais comuns no mercado são:

  • Antitussígenos: inibem o reflexo da tosse, causando retenção de

    secreções e predispondo a pneumonias, além de possuírem efeitos sedativos, levando a sonolência e com isso menor ingesta de alimentos e líquidos pela criança. Devido a isso, há risco de intoxicações graves.

  • Anti-histamínicos (antialérgicos): apesar de comumente receitados

    para qualquer tosse, eles só possuem algum efeito nos casos de alergia. Também possuem efeito sedativo, além de deixarem as secreções mais espessas e difíceis de serem expulsas. Podem causar sonolência excessiva em bebês pequenos.

  • Expectorantes/Fluidificantes: não possuem nenhum efeito

    comprovado em auxiliar nas IVAS. São usados em casos específicos de doenças crônicas e graves do pulmão, como fibrose cística e enfisema.

  • Descongestionantes: podem levar a casos graves de bradicardia (coração bate muito devagar) quando ingeridos em dose elevada. Não são raros os casos de intoxicação atendidos em PS’s. Além disso, os tópicos nasais causam irritação no revestimento das cavidades nasais se usados por tempo prolongado, não sendo recomendados nem para adultos.

    "Ahhhhh...mas espera ai Dr. Eu dou o xarope X pro meu filho e depois de uns dias ele sempre melhora.... " Sim, porquê iria melhorar de qualquer forma. A não ser que seja um corticóide, o mais usado é

a prednisolona (Predsim®,Prelone®) ou Dexametasona (Decadron®). Esses realmente podem aliviar a tosse, porém possuem vários efeitos colaterais se usados de forma inadequada, entre eles:

influência no crescimento, baixa na imunidade, doenças ósseas, ganho de peso. Se a criança receber toda vez que tiver tosse, praticamente todo mês ela estará tomando corticóides. São medicações excelentes se usadas com indicação precisa.

⇒ Além do exposto, qualquer medicação possui chance de efeitos colaterais diversos, risco de intoxicação (algo muito comum em pediatria, pois geralmente os xaropes são gostosos e a criança bebe o frasco todo por prazer), causa de alergias (mais comum pelos corantes do que pela própria medicação).

Ou seja, administra-se algo à criança sem nenhum benefício comprovado, e corre-se o risco de efeitos indesejáveis.

-> Sendo assim, a máxima em pediatria “menos é mais” se aplica muito bem aqui.

"Meu Deus e agora ?? Não tem o que fazer ??"
Calma... Temos sim algumas opções eficazes.
O tratamento recomendado para os resfriados e tosses sem gravidade é:

  1. Higiene nasal com soro fisiológico, podendo ser com uma seringa ou com os diversos tipos de dispositivos comercializados, como spray, jato e conta-gotas (Rinosoro, Salsep, Maresis, etc.).

  2. Aspiradores nasais para sugar o catarro 

  3. Inalação com soro fisiológico em aparelhos para nebulização.

  4. Mel de abelhas​, puro, não os xaropes industrializados. Eleccomprovadamente possui ação antioxidante e antimicrobiana, sua propriedade emoliente (hidratante) das vias aéreas superiores reduz os sintomas da tosse, melhoram a qualidade do sono e diminuem a secreção. Não existe uma dose preconizada, apenas cuidado para não exagerar, pois o mel contém bastante açúcar. Uma colher de sobremesa já é suficiente. Apenas utilizar em crianças acima de 1 ano de vida, de preferência mel pasteurizado.

E quanto tempo pode durar a tosse ?


Infelizmente a resposta é: talvez bastante.
Estudos mostram que a duração dos sintomas em média das IVAS podem varias de 14 até 21 dias. 

✔  Conclui-se então que, com todo esse tempo para a completa  recuperação de uma virose, é muito comum a criança estar se recuperando.... e pegar uma nova. Dai a queixa de “Essa criança vive doente Doutor...” ou “ Ah ele está com essa tosse há 4 meses...” ou “ Foi entrar na creche e não pára de tossir...”